Clássico dos Milhões

pracimaHoje é dia de jogo, dia Clássico dos Milhões e eu vos pergunto: COMO que a FERJ coloca um clássico desse porte às 19h30 de uma quinta-feira? Só podem estar de sacanagem com o torcedor. Essa galera tem que entender que clássico não pode ser nesse horário porque o transporte público carioca não funciona. Um dos principais meio de se chegar até o Engenhão é o trem, mas se o trem já não funciona normalmente…quem dirá em dia de clássico na hora do rush. Mas enfim…vai entender.

Independente do número de presentes na arquibancada – o que deve ser bem pouco -, hoje é dia de encontrar nosso maior freguês rival, dia de o time inteiro jogar bem….até o Ibson.
Vi que o Dorival ainda não confirmou a escalação pro jogo de hoje, mas dizem que a formação do time vai ser essa:
flavas
Entre Ibson e Cléber Santana? Eu iria de Ibson, mas aquele Ibson da primeira rodada e primeiro tempo contra o Madureira laiá laiááá e não aquele do ano passado inteiro e do último jogo contra o Peñarol do Sul do RJ. Se o Cléber Santana entrar a gente vai ter mais qualidade no passe e isso é inegável, mas acho que a gente perde um pouco na marcação por ele ser meio lento. Outras boas alternativas seriam a entrada do Luis Antônio ou do Renato Abreu.
Mais uma vez teremos que aturar o Nixon no ataque titular. Não dá…Nixon não dá. Sério. Inaceitável ver esse moleque usando o manto sagrado. Colocaria o Thomás, Adryan ou um cone no lugar dele, mas Nixon não rola.

Meu esquema seria aquele que disse que armaria no jogo contra o Volta Redonda. Amaral e Cáceres como volantes pra dar uma boa segurança e Elias e Ibson/Luis/Renato abertos pelas pontas. Rafinha Formiga Atômica vindo pelo meio como homem de ligação pra explorar a velocidade, Hernane dentro da área e Nixon vendendo pipoca na arquibancada.
Nossa zaga com Renato Desarmador e Gonzalez tá me dando segurança, mas aí temos o Léo Moura na lateral, ou seja, teremos um buraco pelo lado direito e prevejo muitas bolas nas costas do Léo. Acho que ele tem que ir logo pro meio do campo por não ter mais perna e pulmão pra subir e voltar o jogo todo. Ou então que vá só até o meio-campo…..e aí a gente teria que montar um esquema tático com um ponta aberto pela direita. Na esquerda nem seria necessário porque o João Paulo sobe e volta bem apesar de ter tomado umas bolas nas costas no último domingo. Tomara que o Dorival tenha resolvido isso.
Elias disse que gosta de clássicos e que se dá bem em partidas assim. Será que é hoje que ele faz o primeiro gol dele com o Manto Sagrado? Vamos ver..tô na torcida.

É isso, Nação. Hoje é dia de colocar o manto e cantar pro mundo inteiro a alegria de ser Rubro-Negro. Jantemos bacalhau.

E se o Vasco se comportar bem e nenhum vascaíno tentar se jogar da marquise…quem sabe a gente não deixa eles tomarem um pouco da nossa água, né?

SRN

Anúncios

Parabéns, Peixe.

romario-provoca-a-torcida-rival-apos-marcar-gol-pelo-flamengo-em-1997-1333055525598_1024x768Ontem foi aniversário do Romário, o gigante da pequena área e o post de hoje não poderia ser diferente. Ídolo? Não, não mesmo…bem longe disso até. Nunca ganhou nenhum título de expressão com o manto sagrado, mas vale a lembrança. Lembro de quando era mais novo e jogada futebol todo domingo, religiosamente, numa quadra perto de onde eu morava. Zico e Maradona são meus principais ídolos, mas na época o Romário era jogador do Flamengo. O cara era artilheiro, matador (aquele jogador que tá faltando no nosso elenco hoje em dia) e dentro da pequena área não tinha pra ninguém. Como esquecer daquele elástico que ele deu no Amaral, em 99, num Flamengo x Corinthians pelo Rio-São Paulo? Impossível. Deu saudade? Mate agora:

Vale lembrar que era matador, mas também era polêmico e preguiçoso. Tão preguiçoso que  o Tom Cavalcante gravou uma música imitando o Baixinho “…treinar pra quê se eu já sei o que fazer?…”. Não sabe que música é essa? Não sofra. Ouça aqui:

Pois bem. Antes de toda pelada eu assistia a uma fita que eu tinha com vários gols do Romário. Queria entrar no clima do futebol, me inspirar pra poder jogar bem….essa coisa toda de moleque. Claro que nunca adiantou de nada porque nunca fui atacante…sempre joguei como lateral (já falei isso aqui), mas era bom demais ver. Perdi a conta de quantas vezes eu assisti e rebobinei aquela fita…era realmente algo sensacional, bonito de ver.

Feliz aniversário atrasado, Peixe.

Com vocês: Romário, o rei do rio.

Parte 1:

Parte 2:

Parte 3:

Vamo que vamo.
SRN

Anjo Loiro da Gávea

savioVendo o jogo ontem eu fiquei com saudade de alguns jogadores dos velhos tempos….e um deles foi o Sávio. O Anjo Loiro foi um dos últimos craques prata-da-casa autênticos que jogaram pelo Flamengo. Ponta-esquerda, rápido, habilidoso, franzino e que chegou até a ser comparado com Zico no início da carreira. Tudo bem que a galera forçava a barra na comparação…ninguém JAMAIS chegará aos pés do Zico – O maior de todos os tempos, mas o moleque era bom mesmo. Uma pena ele ter saído cedo do Flamengo e principalmente do jeito que foi….por ego ferido do Romário que não aceitava disputar as atenções com um garoto. Por essa e por outras que eu não aceito quando tratam Romário como ídolo. Ele foi sim um gênio da pequena área, mas ídolo? Nem de longe.

Hoje se fala muito que o Neymar cai-cai apanha um bocado, mas nada se compara ao que o Sávio sofreu. O cara foi o jogador que mais apanhou na história do Flamengo…quiçá do futebol brasileiro (salvo o Paulo Nunes que tomou uma bica do Edílson na final de um Campeonato Paulista depois de o Capetinha fazer umas embaixadas).

Sávio, o eterno Anjo Loiro. Digno de todo respeito e admiração que a torcida tem por ele, um dos meus ídolos de infância e que tenho um orgulho danado de dizer que eu o vi jogar e ser campeão brasileiro ao lado do Júnior, o Vovô Garoto e destaque do Tetra do Mais Amado em 1992.

Obrigado por tudo, garoto. E que um dia o Flamengo volte a criar craques como você.


SRN